Comunidades pessoais de jovens que transgridem: ego-redes especializadas e circunscritas

19

TNo presente artigo apresentam-se os resultados de uma análise exploratória de ego-redes de jovens transgressores em três escolas da Área Metropolitana de Lisboa. O recurso à análise de redes sociais permitiu chegar a conclusões inéditas no estudo dos comportamentos de violência na escola. As tipologias encontradas constituem um primeiro passo e uma oportunidade para o desenvolvimento de pesquisas posteriores. A identificação dos indivíduos centrais a nível individual e grupal aponta para a importância deste tipo de análises pela possibilidade de contribuir para uma intervenção e acompanhamento dos jovens transgressores substantivamente mais informada e focalizada. [from the source]

➤ Source